Sobre o MARS


O Museu antropológico do Rio Grande do Sul, desde a sua fundação, em 20 de abril de 1978, tem promovido atividades relacionadas à produção e à divulgação do conhecimento antropológico no mundo moderno. Ao longo do tempo, o MARS tornou-se um centro dinâmico de pesquisas antropológicas e etnoarqueológicas, comunicando seu trabalho em exposições, seminários e cursos, entre outros. Desenvolveu atividades ao longo de três décadas de extensão e trabalho de campo, conformando, assim, um acervo etnográfico regional.
A realização permanente de pesquisas antropológicas e arqueológicas no MARS lhe conferiu um diferencial importante em seu perfil institucional, e tornou-se um eixo fundamental na estruturação de suas atividades de difusão cultural e formação de acervo. Da constante realização de pesquisas adveio a atualidade de seus projetos e atividades, tanto no sentido de gerar novos conhecimentos, como de atualizar o acervo com dados etnográficos e arqueológicos, além de colocar a Instituição conectada ao debate sobre perspectivas e dilemas da pesquisa social e de políticas culturais contemporâneas, promovidas em rede junto com outros centros de pesquisas, universidades e estudiosos da área.
O MARS, em sua trajetória, desenvolveu ma política institucional e museológica descentralizada no que diz respeito à pesquisa, divulgação e formação de acervo, promovendo parcerias e convênios com centros de estudos antropológicos, universidades, escolas da rede pública, centros comunitários, organizações não governamentais e prefeituras municipais, visando a intensificar as potencialidades do Museu Antropológico. A promoção e socialização da pesquisa, através da investigação de diferentes contextos, redes culturais, valores, identidades sociais, fluxos de significação que permeiam, informam e orientam os distintos grupos sociais e étnicos rio-grandenses, tem sido a tônica de trabalho da Instituição em sua história, com vistas a reinterpretar as diversas identidades, memórias e patrimônios locais e regionais, constitutivos do Estado do Rio Grande do Sul.
Atualmente, o MARS não dispõe de espaços adequados para exposições e visitação de público, a menos que seja para fins de pesquisa. Suas atividades de comunicação têm sido desenvolvidas em espaços cedidos por outras instituições.